Na Mídia

Notícias

PCDF deflagra Operação Destro e prende autor de roubo a banco

PCDF deflagra Operação Destro e prende autor de roubo a banco

PCDF deflagra Operação Destro e prende autor de roubo a banco

A Polícia Civil do DF, por intermédio da Coordenação de Combate ao Crime Organizado, ao Crime contra a Administração Pública e Contra a Ordem Tributária – Cecor, deflagrou, no sábado (21), a Operação Destro e prendeu um homem, foragido há 16 anos e meio. Ele é um dos responsáveis pelo assalto à agência JK do Banco de Brasília – BRB, ocorrido em outubro de 2001.

O mandado de prisão preventiva, expedido pela 2ª Vara Criminal de Brasília, foi cumprido pelos policiais da PCDF em São Paulo, quando o criminoso saía de casa. No mesmo dia, a polícia civil recambiou o autor para Brasília.

As investigações foram dificultadas por falta de integração entre os sistemas de identificação das unidades da federação. O autor tinha dois registros civis. No Distrito Federal, é registrado como Marcel Aparecido da Silva e em São Bernardo do Campo/SP, como Marcelo Reis da Silva. Por isso, somente agora, durante apuração da Cecor sobre outros crimes, a perícia realizada pelo Instituto de Identificação da Polícia Civil do DF conseguiu cruzar digitais e atestou que se tratava da mesma pessoa, elucidando o caso.

De acordo com a Cecor, a operação foi chamada de Destro porque o autor era um dos braços direitos de José Reinaldo Girotti, líder de uma organização criminosa dedicada a roubo de bancos.

Considerado o maior assalto a banco do DF, o crime contou com a participação de nove homens que sequestraram o gerente, o superintendente e o tesoureiro da agência bancária em três diferentes pontos de Brasília. Os criminosos também levaram os familiares dos funcionários do banco, totalizando 17 reféns em uma mansão do Park Way.

Com metralhadoras e pistolas, os criminosos foram até a agência JK com os três funcionários e subtraíram dinheiro, ações de empresas, objetos e documentos de muito valor. Agora, após o trabalho investigativo da PCDF, o caso se encerra.

Divisão de Comunicação/DGPC

Publicado em 27/05/2019

Image